Blog

Tuberculose em bovinos: sintomas e prevenção

Tuberculose em bovinos: sintomas e prevenção

Assim como outras doenças bovinas, a tuberculose é uma das grandes ameaças para o rebanho e para o homem, mas que pode ser evitada através de procedimentos de prevenção. É uma doença causada pela bactéria do gênero Mycobacterium que afeta suínos, ovinos, aves, bubalinos, humanos, e principalmente bovinos. A doença em bovinos pode causar uma série de prejuízos ao pecuarista inclusive a queda na produção de leite, além de ser uma das principais zoonoses que impacta na saúde pública.

Transmissão

 

A principal forma de transmissão é por via respiratória, através do ar. Mas também a transmissão ocorre no contato direto com secreções nasais e a ingestão de leite cru de animais infectados. Quanto maior a quantidade de animais infectados, maior é o número de bactérias presentes no ambiente.

Sintomas

 

Inicialmente, os animais não apresentam sintomas, mas isso não inibe a ação das bactérias que podem ser transmitidas no ambiente e no leite. Já no estágio avançado, ocorre nos animais:

  • Emagrecimento progressivo;
  • Falta de ar;
  • Tosse;
  • Mamite;
  • Infertilidade.

 

A melhor medida é a prevenção!

 

O produtor deve ter o cuidado de adquirir apenas animais negativos ao teste intradérmico para tuberculose. Quando os animais não tiverem esse teste, o produtor deve solicitar o exame a um médico veterinário habilitado antes de realizar a compra. Conheça outras dicas para deixar sua fazenda de leite longe da tuberculose:

  • Exija a limpeza e a higiene dos equipamentos e procedimento de manejo;
  • Consuma leite pasteurizado;
  • Evite funcionários com a doença pode transmitir para os animais;
  • Acompanhamento e controle, por meio do teste no período de 6 meses;
  • Controle da tuberculose bovina mediante a normativa do Programa Nacional de Controle e Erradicação da Brucelose e Tuberculose Animal, com a identificação e eliminação de animais infectados.
 
O rebanho está contaminado, e agora?

 

Infelizmente não existe vacina nem tratamento para a tuberculose bovina, portanto é de extrema importância que o produtor leiteiro tenha um manejo sanitário preventivo.

Quando detectada a tuberculose, o médico veterinário precisa fazer a marcação dos animais e notificar à defesa sanitária e os mesmos devem ser sacrificados no período de até 30 dias. O recomendado é que esses animais sejam encaminhados para abate sanitário em locais que possuam serviço de inspeção de carcaças. Se esta opção foi inviável, eles podem ser abatidos na propriedade, e esta deve ser acompanhada pelo serviço oficial de defesa sanitária animal.

Dica de ouro:

 

Não beba leite e derivados crus! Podem ser meio para diversas doenças, incluindo a tuberculose.

 

A Brucelose é outra doença que não tem cura e que gera prejuízos ao produtor leiteiro:

Clique aqui

 

 

Fundação Roge

Fundação Roge

Apaixonados por educação para o campo! Incansáveis. Ilimitados. Somos um time de talentos, prontos para realizar, para encantar e mais prontos ainda para transformar.