Aleitamento de bezerras com leite de descarte: como reduzir os riscos

O leite de descarte é aquele que a fazenda não pode vender para o consumo humano, pois é proveniente de vacas com mastite ou outras enfermidades que fazem o uso de antibióticos, impossibilitando o consumo. Para reduzir custos, muitas fazendas utilizam esse leite na alimentação das bezerras.

Produtor de leite precisa entender de mercado?

Texto do Gestor de Matérias Primas Lácteas da Verde Campo, Sávio Santiago, publicado no site da Milkpoint.

Já disse algumas vezes que a tarefa de produzir leite é uma das mais complexas por se tratar de uma atividade “multifatorial”. Também ouvi, outras muitas vezes, produtores conscientes e com trajetória de grande sucesso afirmarem que “devem cuidar da atividade da porteira para dentro já que da porteira para fora não existe controle das variáveis”. Ambas afirmações são verdadeiras mas podem levar o produtor a deixar em segundo plano mais um item imprescindível para o seu planejamento: o conhecimento de mercado de leite e insumos.

O que ainda podemos aprender sobre frequência de ordenha?

**Artigo do nutricionista de bovinos de leite, Carlos Giovani Pancoti da empresa Agroceres Multimix publicado no site da empresa.

Em sistemas convencionais, ordenham-se as vacas duas vezes diariamente. Sabemos que a frequência de ordenha afeta a produção de leite, e no caso de aumentar o número de ordenhas, geralmente falamos em fugir do convencional (duas vezes) para a frequência de três vezes/dia, buscando elevar a produção de leite.

4º Dia Técnico do leite da Academia do Leite

O 4º Dia Técnico do Leite é um evento realizado pela Academia do Leite / Fundação Roge com objetivo de promover um encontro entre produtores, estudantes, empresas e especialistas da pecuária leiteira para o compartilhamento de experiências e conhecimento em palestras, cursos, painéis e demonstração de trabalhos.

5 Dicas para evitar a repetição de cio em vacas leiteiras

A repetição de cio é a infertilidade de duração variável em vacas leiteiras, aparentemente sem alterações no trato genital. Este problema traz danos financeiros à propriedade de leite, pois aumenta o uso de doses de sêmen utilizadas para emprenhar apenas um animal, além de aumentar o intervalo de partos e diminuir o tempo produtivo da vaca.

O uso de fitoterápicos na fazenda de leite

* Texto adaptado do artigo científico “Uso de fitoterápicos no dia a dia de uma fazenda leiteira”, de Ana Rosa da Silva Santos e Rebeca Mendes Vieira da Costa, alunas do Curso de Agropecuária da Academia do Leite, sob orientação dos professores: Michel Ruan dos Santos Nogueira - Médico Veterinário, Rafaelly G. Guedes e Carlos Eduardo Leite - Metodologia Científica.

A agropecuária mundial sempre teve como gargalo a incidência de doenças e pragas. Desde então, vem sendo usada grande quantidade de fármacos e agrotóxicos para combater os mesmos.

Com a evolução de estudos e pesquisas, e a preocupação com as questões sustentáveis na agropecuária, novas alternativas vêm surgindo no tratamento e prevenção de doenças no campo, como o uso de produtos fitoterápicos de forma complementar e até substitutiva aos tratamentos convencionais.

O uso do drone a favor do campo

A tecnologia vem ganhando força no campo e as ferramentas tecnológicas surgem para facilitar e impulsionar os resultados para agricultores e pecuaristas.

Um dos exemplos de tecnologia que vem se popularizando nas fazendas é o drone, equipamento não tripulado e com câmeras que pode ser guiado através de um controle remoto. As imagens e vídeos permitem o acesso em tempo real a informações valiosas para produtores rurais que testam e aprovam o investimento.

Dicas para melhorar a administração do tempo na fazenda

O gerenciamento é a base para o sucesso de qualquer fazenda de leite. Cada vez mais, os pecuaristas percebem a necessidade do uso das ferramentas de gestão para melhorar os resultados produtivos e econômicos da atividade. A gestão de qualidade exige planejamento, propósito, dados, análises, metas e objetivos, ferramentas... E isso tudo demanda tempo! E é nessa questão que muito produtor se perde e compromete a eficiência da gestão do seu negócio.

Vacine seu rebanho e evite as mortes por clostridioses

A presença de doenças no rebanho leiteiro pode significar que o manejo sanitário não está sendo executado da maneira correta. Geralmente, quando o gado de leite é identificado com problemas sanitários o produtor vai verificar qual foi o motivo e qual foi a falha de manejo. Porém, infelizmente, há situações em que não é possível analisar o problema para depois tomar uma atitude, como no caso da clostridioses,  doenças que se destacam por atingir animais sadios e dependendo do tipo de bactéria, provocam o óbito de forma muito rápida.

Como utilizar o capim elefante na alimentação de vacas leiteiras

A alimentação bovina é uma das atividades de maior investimento na fazenda de leite. O capim-elefante surge neste contexto como alternativa para a redução de custos. Caracterizado como gramínea, a forrageira apresenta fácil adaptação em várias regiões do Brasil, boa palatabilidade, resistente à seca e a doenças e pragas. É muito comum a utilização de capim elefante na alimentação de vacas leiteiras em sistemas de pastejos rotacionados, por ser uma alternativa mais barata comparada ao sorgo e ao milho em épocas em que o grão está mais caro.

New Call-to-action
Fundação Roge

Blog Fundação Roge

Tudo sobre bovinocultura leiteira.

 

Inscreva-se em nosso blog!

Artigos Recentes

New Call-to-action