Blog

Como evitar os abortos em bovinos?

Como evitar os abortos em bovinos

* Material elaborado por alunos do Projeto de Reprodução da Academia do Leite - Fundação Roge de 2016 sob orientação do Professor e Médico veterinário Michel Nogueira.

O que é um aborto bovino?

Abortamento em vacas leiteiras é comumente definido como perda fetal entre os dias 42 e 260 de gestação. As principais causas infecciosas estão relacionadas a agentes bacterianos, virais e protozoários.  

Perda de prenhez antes do dia 42 após a inseminação artificial é considerada perda embrionária. Quando o bezerro nasce morto depois de 260 dias de gestação é considerado natimorto.

Quais são os principais motivos?

Enfermidades

O abortamento pode ocorrer por diversos fatores e descobrir a causa é um desafio para o produtor. Existem enfermidades reprodutivas infecto-contagiosas que provocam a perda gestacional, como:

  • brucelose
  • leptospirose
  • campilobacteriose
  • tricomonose
  • rinotraqueíte infecciosa dos bovinos (IBR)
  • diarreia bovina a vírus (BVD)

Infecções também resultam no nascimento de bezerros fracos ou natimortos, na retenção de placenta e queda na produção de leite. Vacas infectadas normalmente abortam apenas uma vez. Em touros, a bactéria infecta a vesícula seminal, o epidídimo e os testículos.

Manejo Incorreto

Causas não infecciosas podem ser consequência de manejo incorreto como:

  • déficit nutricional
  • estresse
  • traumas
  • distocia fetal
  • estresse térmico pelo frio ou calor

 

Prejuízos

Além da eliminação do feto, o aborto pode trazer outras consequências negativas à saúde dos animais e ao bolso do produtor como a retenção de placenta, a infecção uterina e um maior intervalo de partos, o que prejudica a produtividade do rebanho leiteiro.

Como prevenir?

Não existe uma fórmula pronta para evitar os abortos em bovinos de leite. Porém, medidas de prevenção e controle são, certamente, o caminho mais seguro. O manejo correto e o acompanhamento clínico periódico dos animais pode evitar ou reduzir a incidência de abortos. As medidas de controle devem ser realizadas em função das necessidades do rebanho e da propriedade com base na avaliação clínica dos animais enfermos, índices reprodutivos do rebanho e de exames laboratoriais.

O que fazer depois de um abortamento?

O portal Embrapa desta algumas medidas que devem ser tomadas em casos de abortamento:

  • Isolamento da vaca que abortou, para impedir a propagação do possível agente infeccioso;
  • Consulta ao técnico para orientação quanto ao envio de materiais específicos para exames laboratoriais, visando ao diagnóstico da causa do abortamento;
  • Enterro do material resultante do abortamento que não tenha sido enviado para o laboratório;
  • Desinfecção do local onde ocorreu o abortamento;
  • Recondução da vaca que abortou para junto das companheiras de rebanho somente após ser considerada livre de qualquer doença infecto-contagiosa;
  • Manutenção das companheiras de rebanho em observação, com relação ao aparecimento de novos abortos.

 

DICA OURO BRANCO:

O abortamento pode ser causado por várias enfermidades como citado anteriormente. Para a maioria dessas doenças, existem vacinas específicas para a imunização dos animais. Práticas efetivas de manejo sanitário também ajudam a evitar o problema.


Evitar partos difíceis pode contribuir para a diminuição da taxa de abortamento na fazenda.

Saiba mais

 

 

Fundação Roge

Fundação Roge

Apaixonados por educação para o campo! Incansáveis. Ilimitados. Somos um time de talentos, prontos para realizar, para encantar e mais prontos ainda para transformar.