Blog

4 Cuidados Fundamentais na Criação de Bezerras

4 Cuidados Fundamentais na Criação de BezerrasO objetivo do produtor leiteiro na criação de bezerras é transformar o animal sensível e não produtivo em uma vaca na fase adulta com alta capacidade de produção. Ele deve assumir o compromisso de reduzir a incidência de doenças e a mortalidade nos primeiros três meses de vida.

A redução da incidência de doenças  é um dos maiores desafios. Se saudáveis, os animais se desenvolvem mais rápido, sem prejuízos no crescimento e na capacidade de reprodução. E os cuidados para isso devem começar já no parto.

Em capacitação na Academia do Leite da Fundação Roge, o zootecnista e coordenador de vendas da Trouw Nutrition , Fabiano Lopes Bueno, abordou os “Principais Pontos Críticos na Criação de Bezerras do Nascimento à Desmama”, onde destacou:

1- Cuidados no parto

Ambiente adequado
O ambiente de parição precisa ser limpo e seco para a segurança da bezerra. A baia de parição deve ter cobertura de cama e de fácil visualização local. Caso não tenha a baia de parição, pode-se utilizar um piquete, mas com boa estrutura: ambiente com sombra, drenado, com fácil acesso a água em quantidade certa e de boa qualidade.

Suplementação energética
No momento do parto a vaca perde uma grande quantidade de líquidos junto com eletrólitos (sais minerais que estão no corpo do animal). O animal sofre desgaste físico, por isso é interessante fornecer para a vaca algum tipo de bebida energética que reponha esses sais minerais. Essa recuperação tem como principal objetivo reduzir o risco de hipocalcemia, reduzir balanço energético negativo, recuperar a energia perdida e aumentar a ingestão de matéria seca.

2- Cura do umbigo

A desinfecção do umbigo é feita para evitar a entrada de bactérias pelo umbigo que causam infecção na bezerra.  A função do umbigo é fazer a ligação dos órgãos vitais do animal com a mãe. Curar o umbigo é fechar a entrada das bactérias o mais cedo possível.

Existem produtos comerciais para fazer a cura, porém o mais utilizado é a tintura de iodo 10% que é extremamente eficaz.  Deve-se utilizar um copo sem retorno, pois o produto uma vez utilizado deve ser descartado já que perde a capacidade de desinfecção. Usar a quantidade certa e caso sobre não devolver a tintura de iodo para o frasco, pois o restante do produto será contaminado. É importante repetir o tratamento durante três dias para fazer com que esse umbigo seque o mais rápido possível, para impedir a entrada de bactérias.

Cortar ou amarrar o umbigo?

Geralmente não se recomenda amarrar. Se for muito comprido, após a imersão no iodo e com a movimentação da bezerra, o umbigo molhado ficará em contato com a sujeira do chão que será suspensa se for amarrado. Neste caso, é melhor contar de 4 a 5 dedos da barriga e cortar. Deve-se então, fazer o tratamento e a limpeza do umbigo e deixar correr naturalmente até ir secando.

3- Manejo de colostro

O colostro é a primeira fonte de alimentação para a bezerra, rica em nutrientes, com aspecto físico do leite. Aumenta o peso e diminui a taxa de mortalidade. A primeira ingestão deve ser imediata e de, no mínimo, 10% do peso do animal. As principais funções do colostro são:

  • O colostro serve de laxante para limpar o intestino, expulsar as recolhas, principalmente na primeira descarga intestinal. Também tem a função de transferir a imunidade, uma vez que a imunidade da vaca não passa para bezerra via placenta. É como se fosse uma vacina via oral com todos os nutrientes necessários.

 

Como saber se o colostro é de qualidade?

Existem diferentes qualidades de colostro. Geralmente o colostro de qualidade é aquele da vaca adulta, pois é mais concentrado e possui mais anticorpos do que colostro de novilha. Sempre que possível, deve-se fazer uma avaliação do colostro pelo colostrômetro ou refratômetro que são equipamentos que permitem analisar a qualidade.

Dicas de fornecimento de colostro:

  • Fornecer pelo menos 6 litros nas primeiras 12 horas de vida, já contando a ingestão imediata;
  • Continuar fornecendo o colostro por três dias. Nesse período, a vaca está transformando o colostro em leite, sendo ainda muito rico em anticorpos;
  • A bezerra precisa tomar a maior quantidade possível. Quanto mais cedo, maiores são as chances dela absorver os anticorpos.

 

4- Acompanhamento do crescimento

Para acompanhar o crescimento da bezerra, é importante analisar se o desenvolvimento corporal está correto através do peso. O recomendado é que, após 58 dias de vida o peso do animal dobre, independente da raça. Isso é um indício de velocidade de crescimento adequado. Para o peso dobrar é necessário ganhar acima de 625/ 650 gramas por dia. O monitoramento e avaliação de ganho de peso no período de aleitamento é uma ferramenta muito importante, podendo ser através de balança, fitas de pesagem, entre outros.

O animal que cresce mais irá atingir a puberdade e maturidade sexual precocemente, e consequentemente, será inseminada mais cedo. A idade da bezerra para o primeiro parto será menor e com mais chances de alta produção.

Todos esses passos mostram a importância  dos cuidados nos primeiros 60 dias de vida das bezerras. São cuidados primordiais que irão repercutir na fase adulta da vaca leiteira. Esses fatores contribuem para se ter um animal adulto de qualidade e longevidade, já que para o produtor, uma vaca economicamente viável é aquela consegue ter de 5 a 6 lactações , pois as duas primeiras lactações pagam o custo de criação do animal.

 

Quer entender mais sobre a criação de bezerras? No Clube Leiteiro da FUNDAÇÃO ROGE você pode se aprofundar nesse assunto!

New call-to-action

 

Fundação Roge

Fundação Roge

Apaixonados por educação para o campo! Incansáveis. Ilimitados. Somos um time de talentos, prontos para realizar, para encantar e mais prontos ainda para transformar.