18 Custos da produção de leite

“Todos nós proprietários de fazendas leiteiras sabemos que calcular os custos da produção de leite não é tarefa das mais simples. (...) todos queremos saber exatamente quanto custa produzirmos o leite nosso de cada dia” (Renato Fonseca, Revista Milkpoint).

Para tal análise, é preciso ter primeiramente o sistema de produção da propriedade leiteira definido para, então, definir o método para analisar os custos.

Que itens devem ser inseridos no custo total da produção de leite?

Como princípio básico da análise do custo da produção das fazendas de leite, é preciso saber, na ponta do lápis, de acordo com a Embrapa, quanto custa para a propriedade cada um dos itens abaixo:

1) Alimentos concentrados: rações completas e/ou componentes para sua elaboração, como farinhas e farelos. Se produzidos na fazenda, considerar todos os insumos, como fertilizantes, defensivos, sementes e outros.

2) Alimentos volumosos: alimentos produzidos na propriedade e utilizados como volumosos na alimentação do rebanho.

3) Leite para bezerros: o volume de leite destinado à alimentação de bezerros deve ser considerado como item de custo, a preços idênticos aos recebidos pelo produtor na venda do produto.

4) Suplemento mineral: suplementos minerais completos ou componentes para elaboração de suplementos minerais.

5) Medicamentos e vacinas: todos os itens relacionados à prevenção e/ou tratamento de doenças e/ou problemas sanitários no rebanho.

6) Energia/combustível: energia elétrica e combustíveis usados nas atividades relacionadas à atividade leiteira.

7) Inseminação artificial: todos os materiais empregados para a realização da inseminação artificial, assim como o sêmen e o nitrogênio para reposição nos botijões de armazenamento do produto.

8) Manutenção e reparos

  • De máquinas e implementos: peças de reposição, óleo lubrificante, filtros, correias e outros componentes. Consideram-se também serviços de terceiros.
  • De benfeitorias: material e mão-de-obra para reformas de instalações.
  • De pastagens: todos os gastos com a reforma de pastagens perenes.

9)  BST: gastos com todos os materiais referentes à aplicação da Somatotropina Bovina, hormônio utilizado em alguns rebanhos para incremento da produção leiteira.

10) Material de ordenha: detergentes, toalhas de papel, reagentes e outros.

11) Despesas administrativas: telefone, material de escritório e outros empregados no gerenciamento.

12) Impostos e taxas: impostos incidentes sobre a atividade leiteira, além de outras taxas como de associações e outros.

13) Mão-de-obra permanente: todos os salários e encargos trabalhistas de funcionários contratados de forma permanente e destinados a toda e qualquer atividade vinculada à atividade leiteira.

14) Mão-de-obra familiar: é considerada de duas formas concomitantes:

  • No desempenho das atividades produtivas: isto é, substituindo a mão-de-obra contratada em funções como ordenha, manejo de rebanho, produção de forragens e outras. Neste caso, para cada uma das atividades desempenhadas por membros da família, atribui-se salário compatível à remuneração encontrada no mercado para a atividade realizada.
  • Na atividade empresarial: outra forma de remuneração da mão-de-obra do fazendeiro é a sua retirada monetária da atividade, como empresário. Neste caso, atribui-se valor compatível a cada caso estudado, caso haja efetivamente algum tipo de retirada por parte do empresário.

15) Transporte do leite: valor referente ao frete do leite.

16) Mão-de-obra eventual/serviços prestados: qualquer tipo de serviço prestado por terceiros e que não se refira a manutenção, como por exemplo: serviços de assistência técnica, contratação eventual de serviços de máquinas e outros.

17) Material de consumo: qualquer tipo de material utilizado na mão-de-obra destinada à atividade leiteira e que não se relacione especificamente a nenhum item até aqui relacionado.

18) Depreciação: reserva contábil destinada a gerar fundos necessários para substituição de bens de produção de longa duração.

 

Além da análise de custos, a profissionalização dos sistemas deve ser preocupação constante do produtor de leite. 

Clique aqui e saiba mais!

Fundação Roge
Written by Fundação Roge

Apaixonados por educação para o campo! Incansáveis. Ilimitados. Somos um time de talentos, prontos para realizar, para encantar e mais prontos ainda para transformar.

New Call-to-action

Blog Fundação Roge

Tudo sobre bovinocultura leiteira.

 

Inscreva-se em nosso blog!

Artigos Recentes

New Call-to-action